Testemunhos

Testemunho  de Osvaldo Artur Sousa lopes 

Eu, abaixo assinado, Osvaldo Artur Sousa Lopes, natural de Fafe, Distrito de Braga e residente em Ovar, distrito de Aveiro, reformado bancário, dou testemunho da seguinte graça recebida de N. Senhora em Fátima, na Via Sacra Húngara, presidida por Monsenhor Oliveira, com a presença de Fernando Pires.

Foi no dia 27 de Abril do ano de 2003, em plena Via Sacra.

Aproximava-se a cerimónia do fim, e na 14ª estação, quando se sentia no ar um intenso perfume a rosas, coloquei-me por trás do irmão Fernando Pires.

Monsenhor Oliveira, padre Zézinho, como gosta que lhe chamem, fazia as considerações finais relativas àquela estação, quando o irmão Fernando Pires se voltou para mim e me abraçou duas vezes, ao que eu, surpreso correspondi.

Fiquei intrigado, mas ele não me disse absolutamente nada.

Já junto ao autocarro que as pessoas do Algarve utilizam, e junto do qual me encontrava, o irmão Fernando Pires se despediu de mim, abraçando-me novamente.

E  por entre sorrisos, disse-me: “Nossa Senhora vai conceder-lhe uma graça”

 Não deu pormenores, nem me elucidou sobre o assunto.

Já no meu automóvel de regresso a Ovar, contei este episódio à minha mulher e cogitei sobre qual seria a graça.

Na verdade a graça anunciada por Fernando Pires, não se fez esperar.

Nesse mesmo dia, cerca das 20 horas, estava a ver o Telejornal, quando de repente, de forma automática e inadvertidamente e sem qualquer premeditação, de forma inconsciente, levei a mão direita ao peito, por entre os botões da camisa, e aí apalpei um sinal que tinha há bastante tempo, de forma irregular, cor preta, que me dava bastante comichão e me preocupava bastante, tendo até receio de o mostrar a um médico.

 Mal toquei no sinal, senti-o mexer-se para o lado esquerdo, e para o lado direito, o que me surpreendeu muito.

Toquei-o de novo e senti-o húmido.

E, então resoluto peguei-o pelo polegar e indicador e o sinal soltou-se ficando nos meus dedos. Do sinal restou apenas uma pequena cicatriz, mostrando o local onde estava minuto antes.

Foi então que me lembrei, das palavras do irmão Fernando Pires

“Nossa Senhora vai conceder-lhe uma graça.”

Esta entrada foi publicada em Testemunhos. ligação permanente.